quarta-feira, 2 de maio de 2012

Foragido, tesoureiro de Cachoeira quer 'cooperar' com CPI @Reinaldo_Cruz @Assuntosdegoias @BrasliaDF


Apontado pela Polícia Federal como o arquivo vivo do esquema de pagamento de propina a políticos e servidores públicos comandado pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Geovani Pereira da Silva está "pronto para cooperar" com a CPI instalada para investigar, no Congresso, o caso. O porta-voz do recado é seu advogado, Calisto Abdala Neto, que tenta garantir a liberdade do cliente. Para a Justiça, o homem apontado como tesoureiro de Cachoeira é considerado foragido há quase dois meses. A ideia da defesa de Geovani é mantê-lo "resguardado" até que a Justiça revogue a ordem de prisão contra ele. Para isso, o advogado impetrou habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, em Brasília, para anular a ordem de prisão, e deve entrar também com outro pedido de liberdade ao juiz federal Paulo Augusto Moreira Lima, responsável por deflagrar a operação.


As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Sem receber no Fla, Ronaldinho evita treino @Reinaldo_Cruz @Dribles_ @Assuntosdegoias @QB_7 @cnn_br

Certa vez, em 2002, o ex-volante Vampeta quebrou os protocolos e, sem medo de represálias, acusou o Flamengo: "Eles fingem que pagam e eu finjo que jogo". Dez anos depois, sem a mesma coragem, Ronaldinho Gaúcho faz de tudo para deixar evidente que, sem dinheiro, não tem futebol.
Dois dias após Assis, seu irmão e empresário, dizer que o clube carioca deve R$ 4,8 milhões ao craque, ele evitou a chuva e o treino de ontem, no CT do Ninho do Urubu. Ficou na academia "aprimorando a forma física", enquanto os demais enfrentavam o temporal.
Como nem jogador nem o clube se pronunciam sobre o assunto, cabe a Assis mostrar que os dias do meia no time carioca estão contados. "Falam muitas coisas sobre o desempenho dele em campo e sobre a frequência dele nos treinos, mas ele nunca deixou a desejar. Além disso, os salários não estão em dia", cobrou.
Pelo jeito Ronaldinho não verá a cor do dinheiro tão cedo. No balanço patrimonial divulgado segunda-feira, o Rubro-Negro acumula mais de R$ 434 milhões em dívidas, o que representa aumento de aproximadamente 13,7% em relação ao resultado do último ano (R$ 382 milhões).
Preocupado com a situação, o presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro, apontou o culpado pela crise. "Está claro que a diretoria administrativa precisa olhar com mais carinho para o marketing. É mais um ano que passa e mais um período que não conseguimos aumentar as receitas. Temos produtos excelentes dentro do Flamengo e ninguém potencializa isso. Não transformam em lucro. Tem coisa errada nesse trabalho de captação", criticou o dirigente.
Mesmo endividado e sem resultados dentro ou fora de campo, o Flamengo ainda sonha em contratar o atacante Adriano, mas o que ninguém revela é de onde virá o dinheiro para o investimento.

Fonte: Diário do Grande ABC

Mesmo com vantagens Goiás promete ofensividade diante dos Atléticos MG-GO @Reinaldo_Cruz @Dribles_

Ainda que tenha conquistado uma boa vantagem em casa com a vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-MG pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil, o Goiás não entrará retrancado para o jogo de volta, marcado para esta quinta-feira no Estádio Independência. Palavra do treinador Enderson Moreira.
"São dois grandes times, tem tudo para ser um grande jogo. Tão importante quanto não levar gol é fazer. Não vamos só nos defender", declarou o treinador. Caso o Goiás faça um gol no Atlético-MG, obrigará o time mineiro a vencer a partida por uma diferença de três gols para seguir adiante no torneio nacional.
A delegação esmeraldina embarcou na manhã desta quarta-feira para a cidade de Belo Horizonte, onde acontece o segundo duelo contra o Atlético-MG, marcado para às 21h50 (de Brasília) desta quinta-feira.
Para garantir a classificação às quartas de final da Copa do Brasil, o Goiás precisa apenas de um empate, com qualquer número de gols, ou mesmo uma derrota com um gol de diferença.

Procurador da República não comparece em CPI @Reinaldo_Cruz @Assuntosdegoias @Dribles_ @QB_7 @Cnn_br

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, alegou impedimentos de ordem técnica e disse que não poderia aceitar o convite para prestar esclarecimentos na CPI mista que investiga a ligação de autoridades, empresários e políticos com o contraventor Carlinhos Cachoeira.
O procurador recebeu, na manhã desta quarta-feira, o presidente da comissão, senador Vital do Rego (PMDB-PB), e o relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), que defendem a presença do chefe do Ministério Público para dar explicações adicionais sobre as operações Vegas e Monte Carlo da Polícia Federal.
“O procurador nos informou que, além de impedimentos de ordem técnica, as investigações não foram concluídas. Eu respeito este impedimento, embora tenhamos contrarrazões para arguir, visto que uma CPI tem por força constitucional o dever de convocar qualquer cidadão brasileiro para depor” afirmou Vital do Rêgo.
Diante desse entendimento, o presidente da comissão não descarta uma posterior convocação do procurador-geral.
“Tive a prudência de esclarecer que esta foi uma visita institucional. Além disso, há um requerimento, para ser apreciado, convocando o procurador. Significa que, quando o requerimento for a voto, nós seremos interpretes da decisão da maioria do colegiado” disse Vital, sem prever uma data para apreciação do pedido.
Apesar da recusa inicial de Roberto Gurgel, o senador disse que saiu do encontro satisfeito:
“Foi uma boa e longa conversa, e o procurador se colocou à disposição de continuarmos dialogando. Saio daqui satisfeito com a visita. Acho que este encontro é o começo de um processo construtivo de colaboração entre nós e o Ministério Público” afirmou.

PF apura ligação de Delúbio com fraude no ES @Dribles_ @Reinaldo_Cruz @Assuntosdegoias @qb_7 @Cnn_br

Investigações da Polícia Federal e do Ministério Público do Espírito Santo encontraram indícios de que o esquema de corrupção deflagrado na cidade de Presidente Kennedy no mês passado seria a ponta de um esquema que se espalha por outros municípios do Espírito Santo, Goiás, Bahia, Minas Gerais e São Paulo. Em dado momento, apareceu nas investigações o nome do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, um dos réus do processo do mensalão. Delúbio teria discutido formas de vender a outras cidades lousas digitais, um dos focos de fraude apontados. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.
Segundo as investigações, os atos criminosos eram liderados pelo prefeito de Presidente Kennedy, Reginaldo Quinta (PTB). Os vereadores afastados seriam responsáveis por evitar que os contratos fossem fiscalizados. A Controladoria Geral da União (CGU) calcula que R$ 55 milhões foram desviados. Uma das fornecedoras investigadas no fornecimento das lousas é a Matrix Sistemas e Tecnologia, que tem como endereço um terreno baldio. Em Janeiro, o sócio da Matrix, Jurandy Nogueira Júnior, pediu ajuda ao deputado estadual Misael de Oliveira (PDT-GO), que prometeu apresentá-los a prefeitos. O deputado, segundo as investigações, intermediou um encontro entre o empresário e Delúbio Soares. Procurado pelo jornal, Delúbio Soares não se manifestou sobre o caso.

Suspeito de chacina confessa que receberia R$ 50 mil @Reinaldo_Cruz @Assuntosdegoias @qb_7 @Cnn_br

Um jovem de 23 anos, suspeito de envolvimento na chacina de Doverlândia (GO), confessou em depoimento ter sido contratado por R$ 50 mil para cometer o crime, segundo a delegada-geral da Polícia Civil de Goiás, Adriana Accorsi. A intenção seria assassinar o dono de uma fazenda próxima à rodovia GO-221, mas outras seis pessoas acabaram degoladas por terem visitado o local durante a ação dos criminosos. O jovem foi preso com um revólver, a espingarda do fazendeiro e roupas sujas de sangue. As informações são da TV Anhanguera.
O suposto contratante, residente em Minas Gerais, já foi preso e nega as acusações. Outro homem foi detido em Minas e também levado para a Delegacia de Homicídios de Goiânia. Eles seriam, segundo a polícia, sobrinho e sogro do filho do fazendeiro. Entre os mortos estavam um filho do dono da fazenda, um funcionário e amigos que visitaram o local. O corpo de uma jovem de 24 anos foi encontrado sem roupas, o que leva a polícia a levantar suspeita de estupro seguido de morte.

CPMI do Cachoeira já tem 167 requerimentos @Reinaldo_Cruz @Assuntosdegoias @dribles_ @qb_7 @Cnn_br

Da Agência Brasil

Brasília - Quando voltarem da pausa nas atividade por causa do feriado do Dia do Trabalho, os membros da comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) que investiga as relações do empresário de jogos ilícitos, Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com políticos e agentes públicos e privados terão 167 requerimentos para analisar. A maioria deles foi apresentada por partidos de oposição.
Os deputados e senadores da CPMI do Cachoeira também devem definir um plano de trabalho, no qual será marcada a data para o início das oitivas e os nomes de quem será ouvido. A reunião está marcada para quarta-feira (2), às 14h30.
Entre os requerimentos apresentados até agora estão pedidos para que deponham os governadores de Goiás, Marconi Perillo, e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. O presidente licenciado da construtora Delta, Fernando Cavendish, e o ex-diretor da companhia, Cláudio Abreu, também estão entre os nomes sugeridos para prestar depoimentos.
Além deles, já há requerimentos para que pessoas consideradas importantes entre os contatos de Cachoeira, preso sob acusação de controlar uma máfia de jogos ilegais, como o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) e o contador Geovani Pereira da Silva, sejam ouvidos. É provável que esses requerimentos sejam aprovados, por se tratar de pessoas consideradas fundamentais na investigação.
Outros nomes apresentados em requerimentos, como o do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, não devem ser convocados. A maioria dos membros da CPMI é governista e terá papel decisivo na votação dos requerimentos.
A CPMI também deverá começar os trabalhos analisando os vários volumes do inquérito que corre no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o envolvimento de parlamentares no esquema de Carlinhos Cachoeira. O inquérito, por sua vez, está fundamentado em investigações da Polícia Federal que incluíram diversos grampos telefônicos da quadrilha de Cachoeira que mostram a relação dele com o senador Demóstenes Torres e os deputados federais Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO), Sandes Júnior (PP-GO), Stepan Nercessian (PPS-RJ), Rubens Otoni (PT-GO) e Jovair Arantes (PTB-GO).
Na última sexta-feira (27), o ministro do STF Ricardo Lewandowski autorizou o envio do inquérito à CPMI mantendo o caráter sigiloso das informações contidas nele. Por isso, apenas parlamentares da comissão deverão ter acesso ao documento. O ministro também autorizou que as sindicâncias da Câmara dos Deputados e do Senado, que estão investigando parlamentares, possam ter acesso ao inquérito.

Arquivo do blog

Seguidores

Pesquisar este blog