terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Denunciado na Lava Jato, Renan ataca MPF: ‘Perdeu condição de ser fiscal’ – Administrador de Sonhos

Presidente do Senado centrou a artilharia na procuradoria, que o denunciou ontem pela primeira vez na Operação Lava Jato por corrupção


Um dia depois de ser denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção e lavagem de dinheiro, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), voltou a mirar sua artilharia contra aqueles que considera seus algozes: o peemedebista afirmou que o MP “perdeu a condição de ser fiscal da lei” e pautou nesta terça-feira o projeto de sua própria autoria que endurece as penas para os crimes de abuso de autoridade.

Fonte: Denunciado, Renan ataca MPF: ‘Perdeu condição de ser fiscal’ | VEJA.com

Desmontando a farsa do rombo da Previdência - Governo Federal mente para continuar bancando a corrupção


Vídeo muito didático desmentindo as falácias que o governo Temer e a grande mídia vendem para justificar e tentar empurrar goela abaixo do povo a Reforma da Previdência que retira direitos.

Na eminência do envio da reforma da Previdência para o Congresso Nacional, após reunião que o governo promove com as centrais sindicais, na segunda-feira (5), e participação da ANFIP (Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil), é hora de intensificar a defesa do sistema de seguro social.

A proposta de reforma vem com uma ampla campanha de mídia, com propagandas sendo veiculadas nos mais variados veículos. É preciso estar atento ao discurso oficial, pois o sistema de Seguridade é superavitário, conforme demonstra incansavelmente a ANFIP, com base em dados também oficiais (veja a Análise de Seguridade Social 2015).

A ANFIP divulga o vídeo para alertar a sociedade quanto às falácias anunciadas pelo governo e para que todos fiquem atentos com o desmonte que querem promover na nossa Previdência Social, afetando os direitos dos cidadãos. Assistam, divulguem, compartilhem!

Para Renan, denúncias são vingança do Ministério Público contra o Senado – Eu Digo Sempre


O presidente do Senado, Renan Calheiros, afirmou nesta terça-feira (13) que as denúncias apresentadas contra ele têm motivação política e serão arquivadas. 
 
De acordo com o senador, os procuradores se vingam do Senado porque a Casa rejeitou três nomes para o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). 
 
Os três fazem parte da força tarefa da Lava Jato. Para Renan, ao fazer política, o Ministério Público perde a capacidade de fiscalizar a lei.
Fonte: Governo Federal do Brasil | L: Para Renan, denúncias são vingança do Ministério Público contra o Senado

"Tucanaram a mentira. O nome agora é pós-verdade"


Verdadeiro esquema de corrupção que assola Brasília, capaz de varrer o PMDB da vida política e derrubar o governo Temer, líder do golpe parlamentar que tirou a presidenta Dilma Rousseff do poder, é revelado

Juízes denunciam ‘estratégia’ de Lula para tirar Moro da Lava Jato – Assuntos de Goiás | Questão Brasil

Entidade máxima da toga federal revela preocupação com sucessivos entreveros entre advogados do ex-presidente e juiz nas audiências


Fonte: Juízes denunciam ‘estratégia’ de Lula para tirar Moro da Lava Jato

Requião: "Fui usado por Renan Calheiros em acordo com STF, para arquivar PEC do abuso de autoridade

"Aécio está com medo", diz Renan sobre delação


O senador Aécio Neves (PSDB-MG), citado por cinco delatores diferentes da Operação Lava Jato, é mencionado em um novo áudio vazado que tem como personagens o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras. 

Divulgados pelo jornal Folha de S.Paulo, os áudios mostram Renan e Machado conversando sobre a crise política e possíveis saídas para ela. 

Em determinado ponto da análise, Machado afirma que toda a classe política está com um "aperto nos ombros" e Renan responde dizendo estarem todos com medo. 

 O senador emenda citando Aécio, presidente do PSDB e candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2014, que estaria "com medo" da delação do senador cassado Delcídio do Amaral, ex-líder do governo Dilma Rousseff, e teria pedido a ele para buscar mais informações sobre o acordo.
 
MACHADO - E tá todo mundo sentindo um aperto nos ombros. Está todo mundo sentindo um aperto nos ombros. 
RENAN - E tudo com medo. 
 MACHADO - Renan, não sobra ninguém, Renan! 
RENAN - Aécio está com medo. [me procurou] 'Renan, queria que você visse para mim esse negócio do Delcídio, se tem mais alguma coisa.' 
MACHADO - Renan, eu fui do PSDB dez anos, Renan. Não sobra ninguém, Renan. 

 Em sua delação, Delcídio cita dois casos envolvendo Aécio Neves. No primeiro, ele afirma que o tucano recebeu propina em um esquema de corrupção em Furnas, subsidiária da Eletrobras. 

 No segundo, Delcídio afirma que, na época em que presidiu a CPMI dos Correios, que investigou o "mensalão", um emissário do tucano lhe pediu que o prazo de entrega da quebra dos sigilos do Banco Rural fosse ampliado, a fim de “maquiar os dados”. 

 “A maquiagem consistiria em apagar dados bancários comprometedores que envolviam Aécio Neves, Clésio Andrade, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Marcos Valério ‘e companhia’, diz a delação. 

Delcídio afirma, ainda, que a estratégia se devia ao fato de que “a gênese do mensalão teria ocorrido em Minas”.

Na segunda-feira 23, a mesma Folha de S.Paulo revelou gravações entre Sergio Machado e Romero Jucá (PMDB-RR) que acabaram derrubando o ministro do Planejamento de Michel Temer. 

Nos áudios, Machado, que foi líder do PSDB no Senado antes de deixar a política, afirma que "Aécio não tem condição" de ganhar uma eleição e pergunta: "Quem não conhece o esquema do Aécio?". 

 Sergio Machado, um dos primeiros alvos da Lava Jato, fez um acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato e os termos, segundo reportagem do jornal Valor Econômico, foram homologados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, relator da Lava Jato na corte.

Renan pede desculpas a Aécio

De acordo a Folha, em resposta ao jornal, Renan Calheiros enviou uma nota afirmando que todas as opiniões manifestadas na conversa com Sergio Machado já eram públicas. 

Em relação a Aécio, no entanto, Renan "se desculpa porque se expressou inadequadamente". O presidente do Senado, diz a nota, "se referia a um contato do senador mineiro que expressava indignação – e não medo – com a citação do ex-senador Delcídio do Amaral." 

 A Executiva Nacional do PSDB disse ao jornal que vai "acionar na Justiça" o ex-presidente da Transpetro. Para o PSDB, é "inaceitável essa reiterada tentativa de acusar sem provas em busca de conseguir benefícios de uma delação premiada".

"Fica cada vez mais clara a tentativa deliberada e criminosa do senhor Sérgio Machado de envolver em suspeições o PSDB e o nome do senador Aécio Neves, em especial, sem apontar um único fato que as justifique. 

As gravações se limitam a reproduzir comentários feitos pelo próprio autor, com o objetivo específico de serem gravados e divulgados", diz o partido.

RENAN, TEMER, AÉCIO E OS PALADINOS DA MORAL: OS DETALHES DA IMPLOSÃO DA POLÍTICA BRASILEIRA

O repórter José Maria Trindade destaca a situação do presidente Michel Temer em relação ao conteúdo das delações do ex-executivo da Odebrecht, que arrasou diversos nomes para o centro da Lava Jato. 


Além disso, a semana em Brasília também conta com a votação da PEC que limita os gastos públicos em segundo turno no Senado. Confira as informações completas.

E o Sérgio Moro diz que não é imparcial! Dilma fala de Aécio, o Mineirinho recebeu R$ 15 milhões da Odebrecht

Principal responsável pela quebra da economia brasileira, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que lançou o Brasil no abismo ao não aceitar sua derrota eleitoral em 2014, irrompe com tudo nas delações da Odebrecht; ele é o Mineirinho, que recebeu nada menos que R$ 15 milhões do departamento de propinas da empreiteira; nesta semana, Aécio apareceu sorridente numa foto ao lado do juiz Sergio Moro, que reconheceu, ao ser alvo de protestos na Alemanha, que a imagem foi infeliz; Moro afirmou que não havia nada sobre Aécio na sua jurisdição; agora tem, pois, ainda que Aécio tenha foro privilegiado, isso não vale para seus tesoureiros

O irresponsável AÉCIO NEVES É O CULPADO PELA TRAGÉDIA BRASILEIRA


O Big Bang da zorra que o Brasil vive se deu no apartamento de Andrea Neves em 2014

O jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, aponta o culpado pela tragédia brasileira: o senador Aécio Neves (PSDB-MG), no momento em que "o Tribunal Superior Eleitoral divulgou o resultado da apuração na eleição para a Presidência da República em 2014".

Para Nogueira, o "marco zero, o Big Bang da crise institucional que vivemos hoje" é Aécio. "Dias depois [do anúncio do resultado], inconformado, Aécio seria o grande articulador e símbolo do impeachment, aglutinando em torno de si o pior da política e da sociedade brasileiras", diz.

"Campeão de delações na Lava Jato, carta fora do baralho do PSDB, xingado de filho da puta numa manifestação que deveria ser sua na Paulista, seu papel na história é desprezível", descreve ainda o jornalista do DCM.

P.H. Amorim: "Não tem saída: Lula será candidato em 2018"

"Existem imagens que valem mil palavras. Outras, valem mil palavrões. É o caso daquela foto do almoço entre Gilmar, o Padim Pade Cerra e o Armínio Nau-Fraga. Ou as risadas de Moro e Aecím, na premiação da "QuantoÉ", no início desta semana.

Esses dois flagrantes deveriam ser suficientes para convencer os advogados de Lula de que Lula será condenado em Curitiba. Mas eles não vão prender o ex-presidente. Afinal, não querem fomentar nenhuma convulsão social, ou fazer "a canoa virar".

Para PHA, a saída é o PT lançar, de uma vez, a candidatura de Lula à presidência da república em 2018. Será que isso obrigará o Moro e a Justiça Eleitoral (quá, quá, quá!) a cassar a candidatura dele?" disse Paulo Henrique Amorim.

Arquivo do blog

Seguidores

Pesquisar este blog