terça-feira, 31 de janeiro de 2017

‘Eu me sinto blindada pelas orações dos fãs’, diz a esposa de Sérgio Moro | Blog by Goiânia

'Não pergunto quem vai ser preso, nem quando nem por quê. Não tenho nenhuma informação privilegiada' 

 A vida discreta de Rosangela Moro, 42 anos, sofreu uma reviravolta há três anos. A razão é fácil de adivinhar: a curitibana, filha de uma professora de escola pública e de um mestre de obras, teve de administrar o impacto de ser casada com o hoje arquifamoso juiz Sergio Moro. 

 Advogada há duas décadas (o pai queria uma “filha doutora”), Rosangela agora será lançada no centro da arena: defenderá o marido, comandante da Operação Lava Jato, em ação por abuso de autoridade movida pelo ex-presidente Lula. 

Rosangela é avessa a entrevistas: o máximo de exposição que se permite são os posts na página Eu Moro com Ele, no Facebook. 

Mas ela quebra o silêncio na revista CLAUDIA que chega às bancas e tablets na sexta-feira 3. 

Como o casal trata da Lava Jato em casa? “O Sergio é uma pessoa muito equilibrada. Não pergunto quem vai ser preso, nem quando nem por quê. Não tenho nenhuma informação privilegiada, exceto quando se refere à segurança da família”, diz. 

 A musa de Moro já causou furor numa igreja: “Pedi ao padre uma bênção especial. Quando ele soube quem eu era, falou por trinta minutos de política. Nos segundos finais, disse: ‘Mantenha a serenidade’ ”

E como ela reagiu? “Não tenho medo. Eu me sinto blindada pelas orações dos fãs, e rezo também.”


 Fonte: Rosangela Moro: ‘Eu me sinto blindada pelas orações dos fãs’ | VEJA.com



Eike Batista é preso e ocupa vaga no Complexo Penitenciário de Gericinó


O empresário já está no Complexo Penitenciário de Gericinó, na unidade conhecida como Bangu 9, no Rio de Janeiro. O empresário foi preso assim que chegou dos Estados Unidos. 

Como não tem curso superior, ele ficará em uma cela com outros detentos. Eike é acusado de pagar propina de dezessete milhões e meio de dólares ao ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Lula a um passo da cadeia após delações bombásticas na Lava Jato


A revelação de que Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro (subsidiária da Petrobrás), teve sua delação premiada aceita pelo Superior Tribunal Federal (STF) reforçou a ideia do governo de tentar encurtar os caminhos para um impeachment definitivo

Delatou geral - Lula articulava o esquema de corrupção na Petrobras!


Pedro Corrêa, político condenado no Mensalão e também preso pela Lava Jato, fez uma Delação Premiada, na qual cita como corruptos vários deputados, senadores, ministros, ex-ministros e, pelo menos, um governador. Corrêa afirma também que o ex-presidente Lula articulava o esquema de corrupção na Petrobras.

domingo, 29 de janeiro de 2017

A Delação Bombástica da Camargo Corrêa é tão devastadora quanto a da Odebrecht, diz jornalista

A controversa vida de Eike Batista - De 5ª maior fortuna do Mundo a foragido internacional



O Supremo Tribunal Federal (STF) deve anunciar nesta semana a decisão sobre o futuro da Operação Lava Jato na Corte. 

Durante toda a semana passada, em conversas reservadas, a presidente da Corte, Cármen Lúcia, buscou uma solução consensual para encontrar um substituto para relatar os processos da operação, que estavam sob a responsabilidade de Teori Zavascki, morto em um acidente de avião em Paraty (RJ). 

 Além da relatoria, a Corte deve definir como será feita a homologação das delações premiadas dos 77 executivos ligados à empreiteira Odebrecht. Na sexta-feira (27), juízes auxiliares do STF concluíram a fase de depoimentos complementares. Com a conclusão, as delações estão prontas para serem homologadas. 

 A alternativa mais cogitada em conversas informais dos ministros é o sorteio da relatoria da Lava Jato entre os integrantes da Segunda Turma, colegiado que era integrado por Teori e que já julgou recursos da Lava Jato. Fazem parte do colegiado os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello.

Outra medida que pode ser tomada é a transferência de um integrante da Primeira Turma para a segunda. 

O nome defendido nos bastidores é o do ministro Edson Fachin, com perfil reservado, semelhante ao de Zavascki.

Pauta

Na quarta-feira (1º), a Corte retorna aos trabalhos após o período de recesso. No início da sessão, está prevista uma homenagem ao ministro Teori Zavascki. 

 Oito ações que tratam de assuntos fiscais, que estavam sob a relatoria de Teori, serão retiradas da pauta de julgamento. Deve ser incluída na pauta a validade da candidatura à reeleição do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. 

A candidatura é contestada pelo Solidariedade (SD) e pelo deputado André Figueireiro (PDT-CE).

Estavam pautadas ações sobre a validade da Lei de Responsabilidade Fiscal e a constitucionalidade da fixação de limite com gastos de pessoal pelos estados. 

Não há previsão para a retomada do julgamento. As decisões devem servir de base para os acordos fiscais que o governo federal deve assinar com os estados que passam por dificuldades financeiras. 

Os ministros deveriam analisar a validade da Lei de Responsabilidade Fiscal, criada em 2000 para disciplinar os gastos dos governos estaduais e federal.

Na época, as ações foram propostas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), governadores e associações de procuradores sob argumento de que a lei fere a autonomia dos Poderes ao definir regras para limitar os gastos.

 ......................................................... 

 O advogado do empresário Eike Batista afirmou hoje (26) que seu cliente pretende se entregar à Justiça o mais breve possível. Fernando Martins informou que o empresário está em Nova York, nos Estados Unidos, onde participa de reuniões de negócio. 

 "Estamos em contato com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, e a intenção dele é cooperar com esses órgãos, como sempre cooperou, e retornar o mais rápido possível", disse o advogado. 

 A Justiça expediu mandado de prisão preventiva contra Eike e mais oito pessoas acusadas de desvio de dinheiro de obras públicas, corrupção ativa, passiva e organização criminosa. 

Entre as prisões, está a do ex-governador Sérgio Cabral, que já está detido no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio. Policiais federais também cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do empresário. 

 A defesa de Eike ainda não se posicionou sobre as acusações do MPF, que motivaram o pedido de prisão. O advogado também afirmou que os documentos estão sendo analisados e que um posicionamento deve ser emitido por meio de nota à imprensa, até o fim do dia. 

 O mandado de prisão está incluído na Operação Eficiência, que é desdobramento da Operação Calicute. As investigações fazem parte da força-tarefa da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.




sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Mesmo sem Teori STF tem obrigação de acelerar delação da Odebrecht e inqueritos da Lava jato – Assuntos de Goiás | Questão Brasil



Na última sexta-feira o apresentador de rádio Jorge Jorge Kajuru falo sobre o acidente do Ministro Teori, afirmando ser um amigo do juiz Sérgio Moro e de Jornalistas da Rede Globo. O vereador disse estar ciente da existência de uma suposta lista envolvendo o nome de parlamentares que estão envolvidos no esquema de corrupção referente à ''Operação Lava Jato'', sendo que, dos envolvidos, 42 são parlamentares ligados ao PSDB, 48 ligados ao PMDB e 56 ligados ao PT.
Kajuru acredita que parlamentares dos três partidos poderiam se unir em um complô para assassinar o ministro Teori Zavascki. Em um vídeo que circula nas redes sociais Kajuru explica que um parlamentar é capaz de tudo para se manter no poder. E como muitos estão há bastante tempo no poder, eles não pretendem sair mais. Já para os políticos mais recentes, ter o nome envolvido na ''Operação Lava Jato'' poderá ser o fim da carreira.
O vereador mais votado de Goiânia ainda diz que o Supremo Tribunal Federal não tem força para escolher um nome à altura de Teori, e que o presidente Michel Temer é corrupto desde a maternidade e teve seu nome citado 43 vezes em delações de executivos da Odebrecht. Ele certamente não se importará em nomear um homem de sua confiança para o lugar do ministro Teori Zavascki, de acordo com Kajuru.
Site Questão Brasil com informações e notícias do Brasil e do Mundo.
O enfoque central deste blog é o nosso querido estado de Goiás, mas nos permitimos abordar qualquer tipo de assunto pertinentes ao Brasil ou de qualquer parte do Mundo, afinal de contas tudo o que acontece por ai são ASSUNTOS DE GOIÁS. www.assuntosdegoias.com.br


[embed]https://www.youtube.com/watch?v=EPAb81l9EEU&t=288s[/embed]

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Delação da Odebrecht lista mais de 200 políticos que para Kajuru são suspeitos da morte de Teori



Na última sexta-feira o apresentador de rádio Jorge Jorge Kajuru falo sobre o acidente do Ministro Teori, afirmando ser um amigo do juiz Sérgio Moro e de Jornalistas da Rede Globo. O vereador disse estar ciente da existência de uma suposta lista envolvendo o nome de parlamentares que estão envolvidos no esquema de corrupção referente à ''Operação Lava Jato'', sendo que, dos envolvidos, 42 são parlamentares ligados ao PSDB, 48 ligados ao PMDB e 56 ligados ao PT.

Kajuru acredita que parlamentares dos três partidos poderiam se unir em um complô para assassinar o ministro Teori Zavascki. Em um vídeo que circula nas redes sociais Kajuru explica que um parlamentar é capaz de tudo para se manter no poder. E como muitos estão há bastante tempo no poder, eles não pretendem sair mais. Já para os políticos mais recentes, ter o nome envolvido na ''Operação Lava Jato'' poderá ser o fim da carreira.

O vereador mais votado de Goiânia ainda diz que o Supremo Tribunal Federal não tem força para escolher um nome à altura de Teori, e que o presidente Michel Temer é corrupto desde a maternidade e teve seu nome citado 43 vezes em delações de executivos da Odebrecht. Ele certamente não se importará em nomear um homem de sua confiança para o lugar do ministro Teori Zavascki, de acordo com Kajuru.

Site Questão Brasil com informações e notícias do Brasil e do Mundo.
O enfoque central deste blog é o nosso querido estado de Goiás, mas nos permitimos abordar qualquer tipo de assunto pertinentes ao Brasil ou de qualquer parte do Mundo, afinal de contas tudo o que acontece por ai são ASSUNTOS DE GOIÁS. www.assuntosdegoias.com.br

domingo, 22 de janeiro de 2017

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

‘Será que investigado pode indicar investigador?’, diz jurista sobre Temer nomear sucessor de Teori – Assuntos de Goiás | Questão Brasil

A morte do ministro Teori Zavascki cria uma lacuna na operação Lava Jato, da qual ele era relator no Supremo Tribunal Federal, e a necessidade do Presidente indicar um novo Ministro para o STF .
 
"O problema é: pode o investigado indicar o investigador? Podem o Senado e Temer, que são citados nas delações premiadas, indicar quem os investigará?", questiona Joaquim Falcão, professor de Direito da FGV-RJ e especialista na atuação do STF. 

 "Há duas indicações a fazer neste momento: uma é o novo ministro, que será feita por Temer e aprovada pelo Senado. Outra é quem será o relator da Lava Jato, que Cármen Lúcia (atual presidente do Supremo), terá que decidir", explica à BBC Brasil.
 

Sérgio Moro pede investigação do acidente | Morte de Teori Zavascki levanta teorias da conspiração



Ministro foi responsável por decisões comemoravas por apoiadores e contrários ao governo do PT durante a Lava Jato

Relator dos processos ligados à operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, o ministro Teori Albino Zavascki, de 68 anos, era conhecido como "discreto" e "independente".

Zavascki foi nomeado pela presidente Dilma Rousseff em dezembro de 2012, assumindo a vaga do ex-ministro Cezar Peluso em meio ao julgamento do "mensalão". 

 Em 2015 e 2016, foi responsável por alguns dos desdobramentos mais importantes da operação Lava Jato. 

Site Questão Brasil com informações e notícias do Brasil e do Mundo.
O enfoque central deste blog é o nosso querido estado de Goiás, mas nos permitimos abordar qualquer tipo de assunto pertinentes ao Brasil ou de qualquer parte do Mundo, afinal de contas tudo o que acontece por ai são ASSUNTOS DE GOIÁS. www.assuntosdegoias.com.br

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Ministro do STF Teori Zavascki está na lista dos passageiros mortos de avião que caiu em Paraty – Assuntos de Goiás | Questão Brasil



Ao menos três pessoas morreram no acidente; avião decolou de São Paulo. 
 O presidente Michel Temer foi informado de que o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki está na lista dos passageiros do avião que caiu nesta quinta-feira no mar próximo a Paraty, próximo a Ilha Rasa, na Costa Verde do Rio de Janeiro. 

O ministro Teori Zavascki durante sessão de encerramento de ano forense do STF
Teori interrompe férias para analisar delação da Odebrecht
O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal FederalEquipe de Teori no STF não tirou férias para analisar delação da Odebrecht
Assessores do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou que Zavascki está na lista de passageiros. O avião saiu de São Paulo. Não há informação sobre o número de passageiros, ou se houve sobreviventes. 

A família do ministro já foi informada, além do presidente Michel Temer e da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, que busca informações sobre os passageiros.

O Corpo de Bombeiros informou que pelo menos três pessoas estão dentro do avião. A aeronave saiu do Campo de Marte, em São Paulo (SP), e tinha como destino a cidade de Paraty. O acidente ocorreu por volta das 13h30m. Segundo a assessoria do Corpo de Bombeiros, um dos tripulantes chegou a ser encontrado com vida, mas acabou não resistindo. Os outros dois já estavam mortos.

Mergulhadores do Grupamento Marítimo da Barra estão se deslocando até o local de helicóptero para ajudarem no resgate. 

A aeronave pertencia ao empresário da construção civil Carlos Alberto Filgueiras, dono do Hotel Emiliano, de São Paulo. Os corpos ainda não foram identificados.

O avião, que é de pequeno porte com capacidade para oito pessoas, está praticamente submerso, o que dificulta na retirada dos corpos. Por este motivo, houve a necessidade do apoio da equipe de mergulhadores do Corpo de Bombeiros. Mais dois fatores complicam o trabalho dos militares: as águas no local da queda da aeronave são turvas e o avião ficou bastante retorcido com o impacto com o mar. 

 Além dos bombeiros, militares da Capitania dos Portos e da Polícia Militar estão no local dando apoio às buscas. Moradores da região disseram que sentiram um forte cheiro de combustível no momento do acidente. A assessoria do Corpo de Bombeiros informou que um equipamento com um guindaste está se deslocando para a região, a fim de tentar retirar o avião do mar.

Uma equipe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) também está no local para investigar o que causou o acidente.

AERONAVE DECOLOU ÀS 13H01M

Segundo a Infraero, o avião que caiu em Paraty, de matrícula PR-SOM, modelo Hawker Beechcraft King Air C90, partiu do aeroporto de Campo de Marte, em São Paulo, às 13h01m. 

A assessoria o aeroporto, que serve para pousos e decolagens basicamente de aeronaves particulares, não divulgou quem estaria na aeronave.

A assessoria do Grupo Emiliano, que é a proprietária do avião, confirmou o acidente mas não deu talhes de quem estava a bordo.

Teori é o relator da Operação Lava-Jato no Supremo. Indicado pela presidente Dilma Rousseff, Teori assumiu o cargo de ministro do Supremo em 2012. 

Antes disso, foi ministro do Superior Tribunal de Justiça. Formou-se em Direito em 1972, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde fez mestrado e doutorado. 

Nova delação da Camargo Corrêa deve levar Lava Jato a fazer devassa em São Paulo – Politica

A necessidade de a construtora refazer seu acordo é um efeito colateral da delação de 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht 
No caso da Camargo, fontes ligadas à negociação do recall consideram que a Lava Jato pretende resgatar suspeitas de corrupção apuradas pela Operação Castelo de Areia, de 2009, que havia identificado indícios de irregularidades em pelos menos 12 obras paulistas. 

A operação foi invalidada pela Justiça.

Relatórios da Castelo de Areia já apontavam indícios de pagamentos indevidos no Rodoanel, no túnel da Avenida Jornalista Roberto Marinho e na expansão do metrô.
 

Havia suspeitas também em contratos com a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), de Campinas, e com a prefeitura de Jundiaí. Foram levantados indícios ainda em obras dos metrôs de Fortaleza, Salvador e Rio. 
 Fonte: Época NEGÓCIOS | Brasil

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

BOMBA! GUIDO MANTEGA E O PROJETO ALFA


Claudio Dantas explica o "Projeto Alfa", negócio suspeito envolvendo os empresários Victor Sandri e Henrique Peters, ligados ao ex-ministro Guido Mantega, e a BBMapfre, subsidiária do Banco do Brasil, além de BTG e WTorre.

Urgente! Janot ameaça políticos na Suíça e causa pânico em Brasília

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

ESCÂNDALO: Jornal O Globo denuncia fraude no ajuste fiscal do governo de Michel Temer – Politica

Temer está produzindo o maior rombo fiscal da história do País, e um dos maiores do mundo, de 9% do PIB, e ainda assim reajustando salários de castas privilegiadas do funcionalismo.
 
 É o que aponta o jornal O Globo, em editorial deste domingo, que revela a farsa do ajuste fiscal de Temer. 

 Confira: 

 A incoerência de Temer ao reajustar servidores

Período de algum relaxamento, as viradas de ano podem ser usadas por governantes para tomar decisões que gostariam que não fossem notadas. 

Desta vez, a contagem regressiva para a chegada de 2017 coincidiu com a Medida Provisória 765, um presente de reajustes para oito categorias do funcionalismo público e, além de outros atos, a criação de um bônus de produtividade e eficiência para auditores fiscais e analistas tributários da Receita, extensivos a auditores do Ministério do Trabalho. 

 Nem parecia um país que encerrava 2016 ainda com preocupantes déficits fiscais: na faixa de 9% do PIB, considerando-se as despesas com juros — três vezes mais o admitido na União Europeia —, e 3% sem elas, números a serem confirmados mais à frente. 

Pelo segundo ano consecutivo. Um contrassenso.

Ao se detalhar a MP, constatam-se altas irresponsabilidades. Há reajustes de até 53%; o bônus é retroativo, para abranger o mês de dezembro e, o pior, estende-se a aposentados e pensionistas. 

Um bônus de produtividade para quem não mais produz (!). Como o Congresso não aprovou os percentuais de aumentos, o Planalto editou a MP no luscofusco de fim de ano. 

 Tudo é possível no alegre reino da fantasia do funcionalismo federal. Mas não no duro universo dos servidores estaduais, onde o poder público não pode contrair dívida para colocar em dia salários e benefícios. 

A União pode, e tem feito isso.

Procurada pelo jornal “Valor”para dar explicações, a Receita tentou sair pela tangente e piorou a situação: disse que o mesmo acontece na AGU e na Procuradoria Geral da Fazenda, entre outros braços da burocracia. Isso significa que o absurdo — inativo e pensionistas premiados por eficiência e produtividade — drena dinheiro do contribuinte há algum tempo, privilégio que deverá se espalhar nas pautas de reivindicações das categorias dos servidores. 

Desde que assumiu como presidente interino, Temer tem contrariado, desta forma — dando aumentos salariais —, a austeridade que prega e cobra, com acerto, dos governadores.

Já passaram pelo Congresso, enviados pelo governo Temer, mais de dez projetos de reajustes salariais. 

Apenas esta MP representa uma despesa adicional de R$ 3,8 bilhões, este ano. Até 2019, R$ 11,2 bilhões.

Há duas justificativas oficiais: os reajustes haviam sido acertados anteriormente, no governo Dilma, e existe dinheiro no Orçamento. 

Mas, na verdade, não há esta certeza, porque o mesmo governo que gasta em salários como se não houvesse amanhã aprovou no mesmo Congresso um teto constitucional para os gastos. 

 Parecem dois presidentes em um só: um gasta, o outro corta. Quem vencerá? 

O Planalto deve se preparar para decidir onde cortar, para atender ao crescimento dessas despesas com salários, bônus e aposentadorias. 

Depois da PEC do teto, o total das despesas não pode crescer mais, este ano, que os 6,29% da inflação de 2016. Vai chegar a hora de definir prioridades. 

 Fonte: Click Política

Empresas investigadas na Operação Cui Bono? receberam ao menos R$ 4,3 bi no esquema na CAIXA | Blog do Rei

Os valores estão registrados publicamente em diferentes documentos
 
Os valores estão registrados publicamente em diferentes documentos, como demonstrações contábeis e atas de reuniões de diretoria, das quatro maiores empresas investigadas pela PF: JBS e sua holding J&F, Bertin e Marfrig. Elas fazem parte do que o mercado chama de "campeões nacionais", grupo beneficiado, nos governos do PT, com financiamento de bancos públicos para fazer fusões e aquisições e se tornarem líderes em seus setores. 

 Os procuradores entendem que havia um esquema organizado de crime na Caixa que atingia duas áreas: a de pessoas jurídicas, sob o comando de Geddel, e a do FI-FGTS, fundo com recursos do trabalhador que é gerido pela Caixa. Quando Geddel estava na Caixa, o frigorífico JBS recebeu um financiamento de R$ 1,8 bilhão.

Já sua holding, a J&F, recebeu R$ 500 milhões por meio de uma emissão de debêntures que foi totalmente adquirida pela Caixa. 

Na época, o mercado questionou os juros, considerados favoráveis à empresa. A área de infraestrutura do grupo Bertin contou ao menos com R$ 1,6 bilhão, liberado para as obras do Rodoanel de São Paulo. O Bertin já foi a maior exportadora de carnes do País e vendeu essa área para a JBS, numa operação que gerou controvérsia por causa de outro financiamento de banco público. 

Fonte:  Época NEGÓCIOS | Empresa

domingo, 15 de janeiro de 2017

Senadores da base aliada querem Renan Calheiros na CCJ para contrapor MPF – Profissão Político

O colegiado, o mais importante da Casa, terá de sabatinar em 2017 o nomeado para a Procuradoria-Geral da República 



A avaliação dos que incentivam Renan a assumir a comissão é de que ele poderia usá-la para, por exemplo, questionar a atuação do atual procurador-geral, caso Janot busque uma segunda recondução. 

O Estado mostrou ontem que o chefe do MPF tem avaliado disputar um terceiro mandato. Janot chegou a pedir, sem sucesso, a prisão e o afastamento de Renan do comando do Senado.

Cabe ao presidente da CCJ indicar o relator de indicações de autoridades, como o procurador-geral, e demais proposições, além de marcar as sessões de discussão e votação das matérias. 

De modo geral, ele também tem condições de ditar o ritmo das discussões, podendo atrasar ou acelerar o andamento das proposições. 
23mai2016-o-presidente-interino-michel-temer-2-a-esq-entrega-ao-presidente-do-senado-renan-calheiros-pmdb-alcentro-a-proposta-de-nova-meta-fiscal-para-o-ano-de-2016-com-deficit-de-r-170-14640345668
Alvo de mais de uma dezena de inquéritos na Lava Jato abertos por Janot e réu em uma ação penal, o peemedebista fez duras críticas ao procurador no ano passado, a quem acusou de agir por vingança e fazer denúncia "nas coxas". 


Fonte:  Época NEGÓCIOS | Brasil

Ação da PF contra fraude na Caixa tem como alvos Geddel Vieira Lima e Eduardo Cunha  – Assuntos de Goiás | Questão Brasil

A Polícia Federal saiu às ruas na sexta-feira (13) para cumprir sete mandados de busca e apreensão em uma operação para apurar um esquema de fraudes na liberação de créditos junto à Caixa Econômica entre 2011 e 2013. 

Policiais fizeram buscas, em Salvador, em imóvel do ex-ministro do PMDB Geddel Vieira Lima, que é um dos alvos da operação. Ele foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa no período investigado pela PF. 

Os mandados foram cumpridos, além da Bahia, em endereços residenciais e comerciais nos estados do Paraná, São Paulo e do Distrito Federal.

A ação desta sexta, batizada de Cui Bono, se baseia em informações encontradas em um celular em desuso apreendido pela polícia em dezembro de 2015 na residência oficial do presidente da Câmara. 

Na época, era o deputado cassado Eduardo Cunha que morava no local.

A apreensão do celular ocorreu durante busca e apreensão realizada na Operação Cantilinárias, da qual a Cui Bono é um desdobramento. 

Os mandados da operação Cui Bono foram expedidos pela 10ª Vara Federal do DF. Inicialmente, as decisões sobre as investigações ficavam a cargo do Supremo Tribunal Federal (STF). 

No entanto, após a cassação de Cunha, o caso foi remetido para a Justiça Federal porque ele perdeu foro privilegiado.


 As informações são do G1

cunha

Arquivo do blog

Seguidores

Pesquisar este blog